Eu sempre morei em casa. Todos os meus 27 anos eu só me lembro de como é morar em casa.

Quando decidimos casar decidimos morar em SP e obviamente mudamos para um apartamento. Foi uma mudança grande mas pra mim as principais diferenças estão em: ter que chegar em casa e manobrar direitinho, pros vizinhos não acharem que você é braço e pra não tirar lasquinha do carro, pegar elevador pra chegar em “casa” (pra mim sempre foi um caminho até a porta e pronto) e os porteiros.

E nesta última diferença temos o tema deste post. Porteiros são pessoas cruciais no seu dia-a-dia se você mora em prédio. Eles te ajudam a deixar o moço da manutenção da máquina de lavar vir fora do horário permitido pelo prédio, te deixam usar duas vagas da garagem em emergências (ou nem tanto) quando você só tem uma vaga e propiciam momentos de interação engraçados.

Um dos porteiros do meu prédio é super prestativo. Me ajuda todos os dias quando chego com compras, segura o elevador e aposta caixas de cerveja sobre jogos de futebol com o maridão. Mas pra mim o melhor approach são os convites.

Todas as contas que chegam para nós ele entrega falando que os convites chegaram.

Eu não entendi a primeira vez porque nem tinha visto os envlopes, e ele explicou: “É um convite, Dona Ana. Convite a pagar a conta. Se não aceitar o convite já sabe, né?” 😉

Anúncios