Eu não fui uma noiva muito normal, mas meu casamento teve a minha cara (e do maridão, óbvio).  Eu não quis bem-casado, não fiz dia da noiva no salão, não usei véu, meu vestido não tinha brilho.

E como não poderia deixar se ser, eu não entrei na Igreja com marcha nupcial.

Assim como a minha cunhada, Thá, eu sabia desde 2008 com qual música eu queria entrar na Igreja. Escolhi ela na minha viagem com o maridão, então namorado, para Las Vegas em 2008. Foi um momento mágico no espetáculo LOVE, do Cirque Du Soleil.

Eu ouvia e treinava para não chorar (semi-impossível, mas com o tempo eu consegui me controlar)… Como era uma música de “cd”, fomos atrás de um DJ para fazer o som da Igreja. Quando descobrimos que, pelas normas da Igreja, teríamos que ter algumas músicas específicas e todas em um estilo meio que religioso, optamos por um Coral.

O pessoal do Coral Monte Carlo foi espetacular. Falamos com a Margareth e o Adur, que entre uma mordida no Big Mac e outra  soltava sons que meus ouvidos nunca tinham ouvido antes – e como se fosse a coisa mais fácil do mundo.

Mas e a minha música de entrada na Igreja? Quando falei qual queria, mostrei o CD, combinamos o comecinho (como se fossem as “clarinadas”), eles adoraram.

E eu, como não podia deixar de ser, me senti a noiva mais feliz do mundo. 🙂

All You Need is Love – Beatles – Love – Cique Du Soleil

Anúncios