You are currently browsing the monthly archive for junho 2010.

Há pouquíssimo tempo eu descobri o Casarei.net, blog da Jess (que ama Dave Matthews Band como eu). Eu já casei, estou muito bem casada, mas confesso que vendo os posts do blog dela às vezes eu quero passar por tudo isso de novo.

Tem várias referências legais e várias dicas de coisas diferentes que você pode fazer para o seu casamento. Se você já tem data marcada ou, assim como a Jess, vai casar um dia, vale à visita.

Se você já casou, vale à visita mesmo assim, pra babar como eu, que babei pelo vestido abaixo e mudaria o meu só pra ter um vestido com bolso! 🙂

imagem kate headley

A Lei de Murphy existe, e quando você acha que ela não vai “te pegar”é aí que ela te s urpreende.

Eu já falei sobre a escolha do meu vestido de noiva neste post aqui mas o que não falei foi do trabalho que ele me deu quando cheguei na Igreja.

Eu escolhi o vestido por causa do rabicó, delicadamente apelidado por mim de rabicó do Pato Donald. Amei o vestido em si, mas o rabicó dava um toque especial….Fofo, lindo e super prático – eu podia tirar ele na festa e o vestido continuaria lindo!

Quando comecei a me vestir em casa, conseguimos colocar o rabicó sem problema nenhum. As pessoas que estavam me ajudando desenvolveram uma técnica ótima com grampos de cabelo, e ele ficou no lugar certinho em menos de 5 segundos.

Entrei no carro e fui pra Igreja. A emoção de sair de casa pela última vez era tanta que eu nem percebi que o rabicó soltou assim que eu sentei no carro.

Chegamos na Igreja, esperamos todo mundo sair da porta da Igreja, desci do carro e o rabicó ficou por lá mesmo… E aí começou a confusão….O rabicó tinha 5 ganchinhos brancos e o vestido 5 casinhas brancas para encaixar os ganchinhos, já estava de noite e ninguém conseguia fazer casar casinha com ganchinho.

Meu pai tinha os grampos de cabelo lá, mas quem disse que eles ajudaram em alguma coisa? A organizadora da Igreja e a assistente vieram ajudar, uma amiga da família veio ajudar, meu pai já estava desistindo… Eles conseguiam prender dois ganchinhos, mas no terceiro os outros dois soltavam….

Enquanto todo mundo tentava encaixar o meu rabicó (que estava bem parecido com aquela brincadeira de acertar o rabo do cavalo com venda nos olhos) eu estava tentando facilitar e me dobrei pra ver se ajudava em alguma coisa.

Desta hora me lembro das daminhas passando, com seus lindos buquês de marshmallow, pulando de um lado para o outro, vindo me dar oi. Lembro de olhar para dentro da Igreja e ver as pessoas olhando para a porta de vidro com cara de ? se perguntando o que estava acontecendo. Não lembro quanto tempo demorou, mas parece que foi uma eternidade. Tempo suficiente para o Padre fazer uma brincadeirinha com o maridão no altar.

Nem lembro de o rabicó encaixou ou se eu me enchi o saco, mas lembro que fiquei a cerimônia inteira preocupada com ele – até porque o fotógrafo mexeu nele diversas vezes pra ajeitar a cauda do vestido.

Na hora de cumprimentar minha mãe pedi um help básico pro rabicó que já estava bem caído e tortinho. Ela conseguiu, em uma tentativa só, colocar ele no lugar! Nada como a mão da Mamuska, né?

Papito não aguentou quando foi devolver o vestido e deu uma bela de uma bronca no pessoal da Belle Sposa contando tudo isso que acabei de contar pra vocês…Quem sabe ajuda pras outras noivas, né?

Estou semi-louca há duas semanas sem diarista. A nossa precisou se ausentar por duas semanas e desde então a casa está de pernas pro ar.

As pilhas de roupa limpa só aumentam (porque eu continuei lavando a roupa pelo menos), as louças não somem mais magicamente da pia e o meu fogão está bem sujinho, coitado. Confesso que, trabalhando e estudando, não consegui dar atenção nenhuma para a casa nestes 15 dias e literalmente fingi que a sujeira não estava ali. Exceto por duas coisinhas: pó e cabelos.

Como toda mulher sabe (e passa na pele) os cabelos caem horrores no inverno. Eu então, tenho certeza que vou ficar careca! Depois de tomar banho e secar o cabelo precisa rolar uma inspeção no banheiro para achar todos os cabelos e jogar no lixo – cabelo pela casa toda não rola, né?

E o pó….Eu não suporto pó e o maridão tem rinite. Ou seja: não da pra viver amigavelmente. Como moro perto de uma grande avenida, o pó é presença constante na nossa vida. Na primeira semana passei um pano pela casa, tirei o pó com o espanador e limpei o pó de baixo da cama. Na segunda semana tive uma super crise na coluna e não consegui fazer nadinha!

Mas durante estas duas semanas tive um melhor-amigo. Ele estava meio de lado, tristinho, porque no começo do casamento eu andava com ele pra cima e pra baixo e o maridão brigava. Mas nestas semanas ele retomou a posição de destaque na casa e no meu coração! 🙂

Meu super aspirador de pó portátil. Ele é flex e aspira até água!!!! Eu tenho que contar pra vocês que ele “é vida”, como diria o André, amigo do Maridão. Nestes últimos dias tenho andado pelo apartamento com ele debaixo do braço.

Você vê uma sujeirinha e pá – ela some em menos de 2 segundos. Você termina de secar o cabelo, passa ele no banheiro e adiós cabelos pelo chão. E tudo isso sem perder a classe! 🙂

Se você é dona de casa e ainda não tem um, recomendo que você corra até a loja mais próxima e compre agora mesmo o seu mais novo melhor amigo! Afinal, aspirador de pó é vida!!!

Ps: O meu, da fotinho aí em cima, é o Rápido Flex da Electrolux

Eu gostei desta coisa de Blog. Gostei tanto que estou colaborando num blog novinho, que acabou de nascer.

O Papo de Marias é feito de 4 Marias (e acho que ainda terão muitas por lá). Amigas de escola, desde 1900 e bolotinhas, que cresceram juntas mas que as vidas tomaram caminhos completamente diferentes. Começamos um blog para colocar os pontos de vista tão diferentes que temos e falar sobre tudo um pouco.

O meu primeiro post está aqui: Carolina. Maria Carolina

Visitem: Http://papodemarias.wordpress.com

Como já diria a sábia Mamuska “É melhor previnir do que remediar”.

Desde que eu casei já fiz de tudo um pouco e consegiui quebrar 2 espelhos num intervalo menor ao de sete anos. Ou seja: eu sou estabanada, pra não dizer zicada. Tem vezes que dá uma ziguizira que ninguém segura…Mas é pra isso que a gente ouve a sábia Mamuska!!!

E esta é uma ótima dica de prevenção. Xô Mau Olhado, Xô Olho Gordo!

É facinho de fazer, não demora nem 5 minutinhos e você e sua casa ficam protegidos.

Ingredientes:

1 Taça ou copo de vidro

Cravo

Sal Grosso

Folhas de Louro

Dentes de Alho (sempre em números ímpares, hein?)

Modo de Preparo:

Lave bem a sua taça e deixe secar. Forre o fundo dela com os cravos (eu exagero e coloco bastante mesmo). Cubra o cravo com o sal grosso quase até a boca da taça. Espete os dentes de alho e as folhas de Louro. OS dentes de alho sempre precisam estar em quantidades ímpares (3, 5, 7, etc). As folhas de louro eu sempre coloco duas.

Pronto! Sua proteção está prontinha e ainda fica bonitinho na decoração.

Coloque atrás das portas de entrada da sua casa – ou na sua mesa no trabalho, por exemplo (eu tenho o meu!!!) 🙂

Xô Urucubaca!!!!

Editado: Olha eu aqui de novo. Esqueci de falar que tem que trocar de tempo em tempo. Quando o alho fica seco e o sal começa a ficar com as pontinhas esbranquiçadas é hora de fazer de novo!

Eu acho que eu ainda não escrevi aqui, mas vou contar pra vocês como escolhemos nossa Lua-de-Mel. Em 2008 fizemos uma viagem mááááágica para Las Vegas e Los Angeles. Em 2010 quando casamos o maridão queria, de novo, ir para Vegas. Como tínhamos acabado de voltar, eu achava que não valia à pena e falei pra ele que tínhamos que escolher um lugar novo/diferente para nós. Decidimos então que a nossa viagem teria uma parte “romântica” no Caribe e uma parte de diversão nos EUA. Nosso pacote para o Caribe fazia escala em Miami e por isso tínhamos dois locais pré-definidos: New York ou Orlando.

Eu defendia New York com unhas e dentes – tínhamos acabado de voltar da Disney, NY era o sonho do maridão e eu sou apaixonada pela cidade. O maridão, por sua vez, defendia Orlando com unhas e dentes. Ele queria porque queria ver o Mickey e ir nos parques. Passamos quase uma semana na discussão de qual seria o nosso destino nos EUA. Fecharíamos o destino na sexta-feira e o que ele não esperava é que teríamos uma virada no jogo e que ele iria “ganhar” a disputa ainda na quinta-feira daquela semana…

Eu e o maridão somos apaixonados por Dave Matthews Band. (Se você não conhece, deveria. Se quer conhecer, clica aqui ou dá um Google neles). Até aí tudo bem…Ok, gostamos de uma banda. Mas não é que apenas gostamos….Amamos!!!!! Nossa música do casamento foi You and Me, do CD novo, e foi a música da nossa primeira dança como marido e mulher. E pra completar e deixar a noite ainda mais perfeita, o maridão ainda fez uma Big surprise e cantou #41 pra mim com a banda dele.

Ok. Acho que deu pra entender esta parte, né? Agora, voltando à Lua-de-mel…. Na quinta-feira daquela semana eu recebi o email decisivo da Lua-de-Mel: a turnê de verão da DMB começaria em Maio e em agosto, durante a nossa Lua-de-Mel eles estariam em Tampa! Ou seja: virei voto vencido e decidi sozinha. Já que o maridão queria Disney e eu queria DMB, fomos para Orlando.

Acho que no fundo não podíamos ter feito coisa melhor. Nos divertimos horrores, tivemos uma das melhores experiências musicais que foi assistir um show fora do Brasil (nada se compara à educação e organização da terra do Tio Sam) e ainda por cima da DMB durante a nossa Lua-de-mel. Ouvir, naquele show, You and Me foi inexplicável…Chorei de emoção abraçada com o maridão.

Este ano vamos reviver um pouquinho desta emoção…DMB virá ao Brasil (de novo) e nós estaremos lá!

O Maridão é meu primeiro namorado…Acho que desde o primeiro ano de namoro nós nunca saímos para jantar no Dia dos Namorados. Todos os lugares estão sempre lotados, sempre tem fila e o serviço é bem ruim. Já ouvimos diversas vezes de casais que esperaram hoooooooras para sentar num restaurante mais ou menos, imagina em um lugar chique e especial então? Sem contar que se você decidir fazer reserva nos restaurantes legais, o preço é bem salgadinho, né?

No começo a gente sempre comemorava um dia antes: um jantar, um vinho, um cineminha….E no dia 12 sempre passávamos juntos. Mas há algum tempo, fazemos programas em “casal” no dia dos namorados. Juntamos com as minhas cunhadas, casais de amigos ou primos do maridão e fazemos um jantar “especial”.

Neste ano tivemos um almoço romântico em casa e à noite fomos pra casa da Cunha Thá. Ela e o Cunho Deco moram num super apartamento na Vila Romana com uma vista maravilhosa. Bebemos vinho, jogamos conversa fora e tudo isso à luz de velas. O cardápio da noite foi um super fondue regado a muito (muito mesmo) vinho branco e outros quitutes que ela preparou. Brie com presunto Parma, torradinhas com queijo ementhal e de cabra. Tudo muito chique, fino e romântico. Gastamos bem menos do que gastaríamos em um restaurante e o Chef Deco arrasou no fondue! Estava uma delícia!

Fica a dica para 2011! 😉

Pois é. De repente chegou o dia dos namorados e eu não tinha planejado NADA. Nadinha da silva! Para ajudar um pouquinho mais, dia 15 faz 8 anos que eu e o maridão estamos juntos. Ou seja: duas datas importantes, o primeiro ano de casados, e eu sem idéia nenhuma.

Eu já fui muito criativa em datas comemorativas. Já dei um super kit de aniversário, com camisa de futebol, relógio, sunga e mais um monte de coisas, já dei um pique-nique de presente no Ibirapuera pelo nosso primeiro ano de namoro, já fui super romântica e dei uma almofada mega blaster linda que eu mesmo fiz com fotos nossas.

Mas este ano me deu branco…Esqueci completamente da data, de que era nosso primeiro ano de casados e simplesmente não tive idéia nenhuma.

Até que a Gabi, super fofa que trabalha comigo, teve a idéia dos mini-bolos. Não pensei duas vezes e pedi um pro maridão. Como decoração, coraçõezinhos, um A de Aninha, um Z de Zuma e um 8 pelos nossos 8 anos juntos. Para completar o pacote comprei um sapato lindo que ele estava precisando.

Estava tudo planejado: almoço mega especial (que depois coloco a receitinha do risoto considerado pelo maridão como “o melhor de todos”), champagne e presente de sobremesa.

Preparei a mesa com confetes de coração, taças de champagne e coloquei o presente em cima da mesa. Almoçamos e durante o almoço inteiro o maridão ficava olhando pro pacote.

Quando acabou o almoço ele foi, todo ansioso, abrir seu presente. Eu expliquei que era de dia dos namorados e pelo nosso aniversário de namoro. Ele  tirou primeiro o par de sapatos de dentro do saco e depois foi calmamente tirando o mini-bolo.

Quando ele tirou o bolo inteiro do saco e colocou em cima da mesa ele estava branco, pálido e com cara de quem estava passando mal. Eu, toda empolgada com o bolo, comecei a murchar devagarinho pensando comigo mesmo: “Ele odiou….”. O pouco que eu tinha conseguido preparar tinha sido um fiasco.

Poxa…por mais que ele tivesse odiado, eu tinha feito com tanto carinho, que ele podia ter disfarçado, né? Ainda não acreditando, perguntei se ele tinha “entendido”. Ele falou que não. Eu expliquei então o “A Z 8”.

E então ele voltou a respirar: “Uuuuuuuufa!!!!. Eu achei que fosse um B de bebê.”

Eu não me aguentei e rolei de rir…O 8 realmente estava parecendo um B e ele estava achando que eu estava grávida. Era pra ter ficado branco e pálido mesmo (engravidar não está nos nossos planos por pelo menos uns dois anos). 😉

Passado o susto, cortamos o bolo, comemos com champagne e depois, meio bêbados, fomos dormir até a hora de ir para a casa da Cunha Thá.

Há menos de um mês eu voltei a estudar… Quando eu achei que já tinha estudado tudo que eu merecia e precisava na vida (Faculdade, 3 especializações e um MBA) aparece um curso super legal na ESPM duas vezes por semana sobre marketing e comunicação digital. Aí eu não resisti…

No começo me preocupei com o maridão (“O que será que ele vai jantar quando eu tiver curso??? Será que ele vai ficar sozinho demais??? Etc…”), mas já nos primeiros dias vi que ele se virou bem…Delícia foi chegar do curso na semana passada e ver que ele não só tinha se virado como tinha pão com mortadela me esperando.

Nerd que sou, sento na primeira fileira, anoto tudo e me preocupo com o trabalho. Não tem jeito…cada curso novo eu penso que vou relaxar mas não dá….Está na minha natureza geek de ser. 😉

A melhor lembrança que você guarda do dia do seu casamento está dentro de você. A emoção é algo que não dá pra descrever e imagino que vocês já saibam disso.

Mas ainda assim, dizem que fotos falam mais do que mil palavras e por isso as fotos no dia do casamento são tão importantes. Vendo as fotos você consegue recuperar a emoção daquele momento. Mas tenho que confessar que no dia do seu casamento ficar posando para fotos enche um pouco o saco. 😉

São diversas poses, diversas fotos que “precisa ter” no álbum, diversas fotos dos noivos e dos amigos que confesso que me senti perseguida por paparazzis – mas daqueles super gente boa que te ajuda até a segurar a taça de vinho enquanto você comprimenta os convidados.

Começou com o making off, fotos dos sapatos, do vestido, do buquê. Depois fotos saindo de casa, fotos no carro, Fotos sem aliança, para depois ter as fotos com aliança, fotos na entrada da Igreja. E assim vai. Fotos, fotos e mais fotos!

Para mim a parte mais legal foi entre a Igreja e a Festa. Fomos até a Paulista tirar fotos e ficaram lindas.

E depois, com tudo isso de fotos que você tira, vem a parte mais difícil…Fazer o álbum de casamento. Nosso CD de fotos veio com mais de 2.000 e não sabíamos por onde começar. A sorte é que o fotógrafo foi super gente boa e montou um preview do álbum com as melhores fotos e fomos mudando apenas algumas coisinhas.

Ainda assim, terminamos as mudanças só na semana passada. Ainda precisamos esperar as alterações chegarem para mandar imprimir o álbum. Acho que no aniversário de 1 ano de casados ele já deve estar por aqui! 🙂

Quem sou eu?


aventurasdecasada@gmail.com

Se cadastre para receber as atualizações do blog por email! ;)

Junte-se a 57 outros seguidores