Pois é. De repente chegou o dia dos namorados e eu não tinha planejado NADA. Nadinha da silva! Para ajudar um pouquinho mais, dia 15 faz 8 anos que eu e o maridão estamos juntos. Ou seja: duas datas importantes, o primeiro ano de casados, e eu sem idéia nenhuma.

Eu já fui muito criativa em datas comemorativas. Já dei um super kit de aniversário, com camisa de futebol, relógio, sunga e mais um monte de coisas, já dei um pique-nique de presente no Ibirapuera pelo nosso primeiro ano de namoro, já fui super romântica e dei uma almofada mega blaster linda que eu mesmo fiz com fotos nossas.

Mas este ano me deu branco…Esqueci completamente da data, de que era nosso primeiro ano de casados e simplesmente não tive idéia nenhuma.

Até que a Gabi, super fofa que trabalha comigo, teve a idéia dos mini-bolos. Não pensei duas vezes e pedi um pro maridão. Como decoração, coraçõezinhos, um A de Aninha, um Z de Zuma e um 8 pelos nossos 8 anos juntos. Para completar o pacote comprei um sapato lindo que ele estava precisando.

Estava tudo planejado: almoço mega especial (que depois coloco a receitinha do risoto considerado pelo maridão como “o melhor de todos”), champagne e presente de sobremesa.

Preparei a mesa com confetes de coração, taças de champagne e coloquei o presente em cima da mesa. Almoçamos e durante o almoço inteiro o maridão ficava olhando pro pacote.

Quando acabou o almoço ele foi, todo ansioso, abrir seu presente. Eu expliquei que era de dia dos namorados e pelo nosso aniversário de namoro. Ele  tirou primeiro o par de sapatos de dentro do saco e depois foi calmamente tirando o mini-bolo.

Quando ele tirou o bolo inteiro do saco e colocou em cima da mesa ele estava branco, pálido e com cara de quem estava passando mal. Eu, toda empolgada com o bolo, comecei a murchar devagarinho pensando comigo mesmo: “Ele odiou….”. O pouco que eu tinha conseguido preparar tinha sido um fiasco.

Poxa…por mais que ele tivesse odiado, eu tinha feito com tanto carinho, que ele podia ter disfarçado, né? Ainda não acreditando, perguntei se ele tinha “entendido”. Ele falou que não. Eu expliquei então o “A Z 8”.

E então ele voltou a respirar: “Uuuuuuuufa!!!!. Eu achei que fosse um B de bebê.”

Eu não me aguentei e rolei de rir…O 8 realmente estava parecendo um B e ele estava achando que eu estava grávida. Era pra ter ficado branco e pálido mesmo (engravidar não está nos nossos planos por pelo menos uns dois anos). 😉

Passado o susto, cortamos o bolo, comemos com champagne e depois, meio bêbados, fomos dormir até a hora de ir para a casa da Cunha Thá.

Anúncios