Desde o começo, quando eu olhava para as fotos de casamento, eu sabia de algumas coisas: nada de véu, nada de brilhos e nada de cabelo preso (porque o maridão não gosta).

Mas aí a pergunta era: então o que eu coloco? E foi aí que as flores surgiram… Eu não sabia por onde começar, nem onde procurar, mas busquei muitas referências.

Até que cheguei na Isa, que trabalha na Madame Sabrina – aquela bem famosa aqui de SP por causa do Sabrina Chapéus. Marquei um dia com ela e fui brifar minhas flores:”gosto de penas bem delicadinhas, não gosto de brilho, gosto de flor média e pequena, pode ter folha sim. Renda? Eca!!! Mas ok”…Sou a noiva e neste dia eu abri uma exceção.

Recebi dela todas as instruções: não pode molhar, não pode colocar laquê com a flor no cabelo, não pode isso, pode aquilo…ok. Anotei tudo num papelzinho pra não esquecer e entregar pro meu maquiador.

Depois de uns 45 dias as flores estavam prontas, eu tinha prova de cabelo e precisava desesperadamente ir buscá-las. Eu estava ansiosa para ver como elas tinham ficado. Eu estava trabalhandom e era uma quinta feira horrorosa em SP com muita chuva (muita mesmo).

Tamanho meu desespero, procurei todas as empresas de motoboy da região pra ver se alguém tinha um motoboy com aquela caixinha atrás da moto. Como chovia muito, Lady Murphy apareceu de novo e eu fiquei chupando o dedo.

Tive que segurar a ansiedade e pedir pra Mamuska ir buscar pra mim na sexta feira. Quando cheguei em casa na sexta eu parecia uma criança com boneca de porcelana: não queria largar por nada neste mundo e morreeeeeeeeendo de medo de acontecer algo com as flores. Fiquei A-pai-xo-na-da!!!

O resultado deste briefing floral e da paixão foi esse:  🙂

Ps: o maridão aprovou! 😉

Anúncios