A pergunta mais crucial quando você decide casar é “Alugar ou Comprar?”.

Eu e o maridão fizemos contas, muitas e muitas contas, e decidimos comprar. Entre pagar aluguel e pagar um financiamento, optamos pelo financiamento – já que no fim das contas estávamos investindo o dinheiro para algo que seria nosso.

Quando esta decisão está tomada, a pergunta muda: “Quanto podemos gastar?”. E a resposta para esta pergunta vai acabar norteando todas as outras decisões – como a região, metragem do apartamento, etc.

É importante também incluir nesta verba que você tem o quanto você vai poder gastar com reforma, já que isso deve influenciar muito a decisão. Um apê antigo recém reformado por R$200.000 pode ser muito melhor do que um no mesmo prédio, por R$170.ooo mas que você irá gastar muito maisdo que R$30.000 em reformas.

Obviamente, que se você decidir morar em um apartamento novo (recém entregue ou na planta), a definição da verba acaba sendo ainda mais crucial. Por exemplo: um apartamento de 42 metros quadrados na planta, pode custar mais de R$500.000 no Itaim e menos de R$150.000 em Osasco. Tudo vai depender de você, do seu desejo e do seu sonho.

Eu e o maridão decidimos a verba, pensamos na metragem dos sonhos e começamos a procurar. Em Alphaville conseguiríamos comprar um apê de 130 metros na planta, em perdizes um de 42 metros antigo e muito necessitado de reforma, e no Jardins um de 130 metros, acabado, que teria que ser colocado no chão para começar do zero.

Na busca encontramos de tudo: apartamento todo com piso de madeira, mas em baixo da cama do casal com piso frio (economia porquíssima, por sinal), apartamento micro na Av. Pompéia com um gato dormindo no sofá, as piores distribuições de quarto possíveis, Combo apartamento + móveis  (vinha com uma mesa de vidro triangular e horrorosa), chão rosa e até portinha de cowboy (esta parte específicamente vocês lerão mais pra frente).

Depois de 6 meses procurando o apartamento ideal, partimos para a decisão mais sábia no momento para nós: abrimos mão de um pouco da metragem que queríamos, mas era imprescindível ter 2 quartos. Abrimos mão de garagem coberta (já que onde morávamos nossos carros não ficavam no coberto mesmo), ficamos muito atentos ao valor do condomínio, e escolhemos a região onde queríamos morar (depois de muito procurar apês em Alphaville, Perdizes e Itaim).

Antes de decidir a região, no meio do caminho, quase compramos dois apartamentos: um em alphaville, na planta, que desistimos depois que as coisas que a vendedora nos disse não coincidiam com o memorial descritivo do prédio e outro antigo, aquele que vinha com a mesa de vidro triangular (o vendedor não queria negociar um centavo do preço).

Ufa! Agora era começar a procurar, tudo de novo.

Anúncios