Eu sumi e eu voltei só hoje. Isso porque a última semana foi de êxtase. Segunda passada eu, maridão e Mamuska fomos ao incrível show do Paul McCartney.

Antes que você pergunte, não…Não sou beatlemaníaca. ADORO Beatles mas não é o que está sempre tocando no meu fone de ouvido. AMO o Paul e sim, ouço as músicas dele com mais frequência. Não sou muito fã do John. Ehehehe.

Lá em 2008 eu e o maridão tivemos uma experiência Beatleszística em Las Vegas, no espetáculo LOVE (que por sinal é imperdível pra quem ama Beatles). Choramos do começo ao fim, como duas criancinhas. Foi uma das noitas mais mágicas que tivemos em Las Vegas e nas nossas vidas (fica bem grudadinha no topo da lista com o dia do casório).

Por isso ficamos putos, brigamos quando não conseguimos comprar o ingresso do Paul, passamos a madrugada em claro, com dois computadores, tentando comprar o ingresso e ficamos emocionados quando a compra do ingresso foi aprovada. Juro que até chorei no carro ouvindo Hey Jude!

Mas enfim…voltando. Ingressos na mão, uma super chuva rolando na cidade (além de estar tudo parado), Capuchas vestidas e lá vamos nós!

Ficamos esperando o show começar de baixo de chuva, fazendo “Ola” para aquecer (confesso que as três primeiras vezes foram bem divertidas, mas depois encheu o saco). Ficou de noite, o telão se acendeu, o DJ entrou e a vontade de fazer xixi veio junto (de novo!). Fiquei me concentrando para não precisar ir no banheiro, mas a força da água (da chuva) foi mais forte. 🙂

E eu resolvi ir no banheiro na mesma hora que Sir Paul resolveu entrar no palco. Fui correndinho no banheiro (vazio), fiz o que devia e voltei pra curtir com a Mamuska, o maridão e o Dé (amigo do maridão).

A chuva sumiu assim que ele entrou no palco e curtimos o show. E sim…Choramos demais!

Sir Paul se saiu muito bem, arriscando no português, conversando com a platéia, chamando as pessoas para cantar. Dizem que é tudo “ensaiadinho”, mas teve uma hora que ele soltou um “Tudo bem in the Rain?” (Tudo bem na chuva?) que tenho certeza que foi improvisado…Rimava perfeitamente, porquê não brincar com a platéia? Ele pulou, cantou, dançou, tocou piano (demaaais), fez graça. É um showman com muita experiência, mas tenho que dizer que o baterista Abe Laboriel Jr. também é um show à parte. Eu já achava ele demais, e depois de ver ele dançando “Dance Tonight” na transmissão da Globo, gostei mais ainda!

Enfim. Estávamos lá longe (como vocês vão ver pelas fotinhos lá em baix0, mas pelo menos tinha cadeira pra sentar), mas isso não quer dizer que foi menos emocionante. Curtimos, Choramos (sim…de novo), vibramos, cantamos junto com o estádio inteiro. Vimos pais, filhos, irmãos e amigos vibrarem juntos ao som que marcou uma geração. Sem dúvidas, para mim e acho que para todos que estavam lá, o melhor show de nossas vidas! 🙂

Imagem copiada “na caruda” da Ju, do TáBomVai!

Anúncios