Quando casamos passamos por um momento difícil na hora de fazer as malas. Para as mulheres então, este momento é ainda pior. E se eu quiser usar aquela calça jeans que ficou e ela estiver “na casa da minha mãe” e não em casa?

Eu comecei esta etapa do processo antes. Separei no armário as coisas que iam e as que ficavam. Acho que passei um mês só usando o que ficava, pra não sentir saudades. Chegou o final de semana antes do casório oficial, fizemos as malas (depois do almoço para comemorar o casório no cartório) e lá fomos nós, pro apartamento, com o carro cheio para começar a arrumar as coisas.

Olhamos para todos os armários e fizemos uma “semi” divisão que dura até hoje (obviamente que eu fiquei com muito mais espaço do que o maridão) e começamos a guardar as coisas. Não preciso dizer que o armário lotou em 5 minutos, né? Então, com todos os armários lotados, vamos para a Lua-de-Mel e trazemos mais coisas para rechear a casa (não dá pra resistir à tentação de relaxar do estresse do casamento fazendo compras, poxa).

Mas nos últimos dois finais de semana eu me toquei que isso não acaba nunca. Vou pra casa dos meus pais no Interior e trago alguns sapatos, passo na cada deles em SP e levo algumas bolsas, vou arrumar minhas tranqueiras no meu ex-quarto e loto uma sacola com coisinhas miúdas que quero comigo. Às vezes eu também levo umas coisas, mas já estou sem espaço em casa (e comecei a guardar alguns sapatos no baú em baixo da cama), mas é irresistível… Será que isso não acaba nunca?

Anúncios